Menu
Redes Sociais

História do Mestre

FAUSTO BRUNOCILLA: PAI, AMIGO E PROFESSOR

Fausto Brunocilla, foi um destacado lutador de Luta-Livre, aluno do Mestre Tatu. Mestre Fausto vivia da luta. Desde pequeno, Carlinhos acompanhava o pai para assistir seus treinos, na academia do Tatu, no clube Santa Luzia. Fausto treinava com um grupo de elite: Alemão(Álvaro Chagas), Mauro Gonzaga, Ricardo Calmon, Renê Bastos, baianinho,  Mesnique, Jorge Francês, Costóia, Alfredo (judoca), Moacir Luzia, Juarez,  Edir, Euclides, Valdemar e Valdo Santana, entre outros.
Quando Mestre Tatu se afastou dos treinos, devido à idade (início dos anos 70), foram o Fausto e o Carlinhos que continuaram a luta que hoje conhecemos como Luta-Livre Esportiva, ou simplesmente Luta-Livre. O nome Luta-Livre Esportiva veio da coexistência com a luta-livre Olímpica, que já era um esporte reconhecido e que os praticantes da luta "de golpe" (LL esportiva) participavam, já que a parte de queda era idêntica. Dessa forma, os clubes (Santa luzia, Boqueirão do Passeio e Internacional), se interessavam pela atividade.
Vale registrar que Fausto, além da Luta, praticava boxe e diversos esportes, como pelota, voleibol, futebol de salão. E era bom em todos, tendo conquistado o título de melhor atleta das Olimpíadas internas dos Clubes Santa Luzia e Boqueirão do Passeio. Assim, Carlos Alberto Brunocilla, o "Carlinhos", foi nascido e criado dentro da Luta-Livre.

 

TATU: MESTRE E AMIGO

O Mestre Tatu era muito amigo do Mestre Fausto. Assim, Carlinhos herdou do pai a amizade do Mestre. Frequentava não só a academia, mas também a casa do amigo Euclydes. Aliás, foi na sala de estar do grande Mestre que Carlinhos aprendeu segredos da Luta que, confessa, sequer teve tempo de usar todos...
Carlinhos conta que era assíduo frequentador da casa do Mestre (na Gustavo Sampaio - Leme). Ele e seu pai estavam sempre lá, visitando e aprendendo com o "velho". - "Não dava mais pra ele ir à academia, então a gente ia lá se divertir e aprender um pouco mais com o velho", conta Carlinhos. - "Ali mesmo, na sala da casa dele, aprendi diversas posições, seqüências de movimentos, táticas e até mesmo lições de vida. o velho era prático, dizia: quando receber um chamado urgente, pergunta pra quem.", completa.

O APRENDIZADO: UMA TURMA DE MONSTROS SAGRADOS


A turma formada pelos Alunos do Tatu (Rua Santa Luzia, clube Santa Luzia, final do anos 60, início dos 70) era uma autêntica seleção:

Alemão, Mauro Gonzaga, Ricardo Calmon, Renê Bastos, baianinho, Mesnique, Jorge Francês, Costóia, Alfredo (judoca) e muitos outros.

Admirava e queria ser igual. Além do seu pai e do Mestre Tatu, seus grandes ídolos, Carlinhos teve diversos grandes lutadores que colaboraram muito com sua formação.


O LUTADOR CARLOS BRUNOCILLA

Faziam fila para ter a honra de enfrentar o jovem Brunocilla.
Poucos, pouquíssimos, resistiam por mais que alguns poucos minutos ao incrível arsenal de golpes e combinações de movimentos que Carlinhos empregava. Exímio atleta, cumpria o ritual e honrava a todos, até o último candidato.

Carlinhos foi lutador dos 17 os 32 anos. Na sua época o vale-tudo estava proibido. O bom conhecimento de outras lutas, particularmente boxe, luta olímpica (campeão seguidas vezes), greco-romana (campeão seguidas vezes) e jiu-jitsu, possibilitou ao Mestre a evolução da Luta-Livre até então praticada.

O lutador Carlinhos virou lenda. Os principais lutadores da época o procuravam para treinar. Fausto, seu pai, sempre que sabia de algum lutador de fora da escola Brunocilla que vinha ganhando expressão, arrumava um jeito de levar o seu filho para testar sua competência. Assim Carlos Brunocilla construiu sua reputação.

 

Cadastre Seu e-mail

Receba Notícias e muito mais! Cadastre seu e-mail aqui.

Contato

Sobre

Saiba um pouco mais sobre a Confederação Brasileira De Luta Livre.

Saiba Mais...