Home
Quem Somos
Resultados
Galeria
Faixas Pretas
Lutador
Redes Sociais

REGRAS DE COMPETIÇÃO

Sumário 

  1. INSCRIÇÕES NOS TORNEIOS
    1. AS INSCRIÇÕES
    2. FAIXAS OUTRAS MODALIDADES
    3. DOCUMENTAÇÃO
  2. UNIFORME
    1. ESPECIFICAÇÃO DO UNIFORME
    2. TIPO DE UNIFORME
    3. HIGIENE E INTEGRIDADE DO UNIFORME
  3. CATEGORIAS DE PESO e IDADE
    1. TABELA DE PESO x IDADE
    2. CATEGORIAs ABSOLUTO
  4. PONTUAÇÃO
    1. TABELA DE PONTUAÇÃO
    2. TEMPO DE IMOBILIZAÇÃO
    3. PONTOS ACUMULATIVOS
    4. CRITÉRIO DE DESEMPATE
  5. TEMPO DE LUTA
    1. TEMPO DE LUTA POR IDADE
  6. GOLPES PROIBIDOS
    1. PROIBIÇÃO POR IDADE / FAIXA
    2. APOIAR A CABEÇA NO TATAME
    3. BATE ESTACA
  7. FALTAS E PUNIÇÕES
    1. FALTAS E PUNIÇÕES
    2. FALTAS DISCIPLINARES
    3. PUNIÇÕES POR FALTAS DISCIPLINARES
    4. FALTAS TÉCNICAS
      1. FALTA DE COMBATIVIDADE
      2. FALTA GRAVE (ADVERTÊNCIA VERBAL E PUNIÇÃO DE UM PONTO NEGATIVO)
      3. FALTA GRAVÍSSIMAS (DESCLASSIFICAÇÃO)
    5. PROCESSO DE PUNIÇÕES
    6. TIPO DE DESCLASSIFICAÇÕES
  8. ARBITRAGEM
    1. AUTORIDADE DO ÁRBITRO
    2. FUNÇÕES DO ÁRBITRO
    3. GESTOS E ORDENS VERBAIS DO ÁRBITRO 
  9. CHAVEAMENTO E CASOS ESPECIAIS
    1. CHAVE COM 3 ATLETAS E DESCLASSIFICAÇÃO
    2. DESCLASSIFICAÇÃO POR FALTA DISCIPLINAR
    3. DESCLASSIFICAÇÃO POR FALTA TÉCNICA
    4. DESCLASSIFICAÇÃO POR CONTUSÃO
    5. DOIS OU MAIS ATLETAS DA MESMA EQUIPE
    6. DEFINIÇÃO DO TERCEIRO LUGAR
  10. PONTUAÇÃO E PREMIAÇÕES
    1. PONTOS POR CLASSIFICAÇÃO
    2. CLASSIFICAÇÃO
    3. PREMIAÇÃO
    4. CERIMONIA FINAL
    5. RESPONSABILIDADE CONFERÊNCIA RESULTADO
  11. RANKING INDIVIDUAL
    1. RANKING INDIVIDUAL - PONTUAÇÃO
    2. PESO DOS TORNEIOS PARA RANQUEAMENTO
    3. CHAVEAMENTO - ELIMINAÇÃO SIMPLES - VENCEDOR AVANÇA
    4. RANKING DE ENTRADA NO CHAVEAMENTO
    5. AGRUPAMENTO DAS FAIXAS PARA FORMAÇÃO DAS CHAVES
  12. REGULAMENTO DOS RANKINGS
    1. REGULAMENTO PARA OS RANKINGS DAS EQUIPES - EVENTO E ANUAL
    2. REGULAMENTO PARA O RANKING ANUAL DOS ATLETAS
 

 

1. INSCRIÇÕES NOS TORNEIOS

1.1 AS INSCRIÇÕES 
As inscrições serão realizadas através do site da CBLLE, no endereço www.cblle.com.br, até a data limite pré-estabelecida pela organização do evento.
Os atletas confederados farão as inscrições através do App da CBLLE, onde já terão todos seus dados cadastrados. Os atletas de Outras Modalidades deverão se inscrever pela página do torneio, onde encontrarão o link para página de inscrição apropriada para eles.
A confirmação da inscrição só se dará após o seu pagamento.
As inscrições dos atletas para as competições oficiais da CBLLE devem obedecer ao nome completo e a data de nascimento (dia, mês e ano) conforme a certidão de nascimento ou a carteira de identidade ou a CNH.
Se o atleta for inscrito indevidamente na idade (errada), que não corresponda à data do documento, o mesmo será desclassificado sumariamente, não cabendo a ele recursos.
Se o atleta for inscrito indevidamente no peso que não corresponda ao peso dele, o mesmo será desclassificado no ato da pesagem.
Em ambos os casos acima, a CBLLE não fará o remanejamento dos atletas para a chave correspondente, cabendo ao atleta e ao professor fazer a checagem até a data limite prevista no cronograma do evento.
É determinantemente proibida a inscrição de atletas no dia dos eventos oficiais da CBLLE, cabendo ao professor ou ao atleta fazê-la até a data limite fornecida pela Coordenação do evento.
As inscrições dos atletas só serão efetuadas mediante o pagamento das mesmas, obedecendo à data limite de inscrição fornecida pela coordenação do evento.

1.2 FAIXAS OUTRAS MODALIDADES
Atletas com formação em Jiu-Jitsu podem se inscrever nos torneios até duas faixas abaixo da sua graduação no JJ, desde que não seja abaixo da sua formação na Luta Livre.
A falta de observância desse critério implicará na desclassificação sumária do atleta da competição.

1.3 DOCUMENTAÇÃO
É de extrema importância que as agremiações estejam inscritas e devidamente registradas na CBLLE.
Os atletas devem estar inscritos na CBLLE, com a anuidade em dia. A carteira oficial receberá um número de registro automaticamente.
Os atletas deverão apresentar a carteira oficial da CBLLE antes de entrar na área de concentração, caso ele não apresente o mesmo será desclassificado.
Se o atleta pertencer à outra modalidade de luta, será obrigatório a apresentação da carteira com foto da sua Federação ou Confederação que identifique sua graduação.

 


2.UNIFORME DE COMPETIÇÃO

2.1 UNIFORME
É obrigatório em competições oficiais da CBLLE o uso do uniforme adequado para a prática da Luta Livre Esportiva para todos os atletas de todas as idades.

2.2 TIPO DE UNIFORME
A camisa do uniforme deverá ser uma camisa Rashguard (segunda pele).
Camisa de mangas cumpridas ou curtas, devendo conter a cor da graduação do atleta visível e inequívoca. Pode conter logo da equipe e patrocínios.
(Neste exemplo a predominância da cor da graduação do atleta nas mangas).

Bermudas curtas até o joelho, ou calças legs até a canela sem bolsos e Zíper, de preferência na cor preta, não haverá obrigatoriedade da cor da graduação do atleta na bermuda ou calça leg, podendo conter a logo da equipe e patrocÍnios.

2.3 HIGIENE E UNIFORME
O uniforme deverá estar íntegro.
Antes da pesagem, o Fiscal vai verificar as exigências do uniforme de acordo com o regulamento.
Cada atleta terá direito a um total de 2 (duas) inspeções de uniforme para aprovação. Se o uniforme não for aprovado até o limite dessas inspeções, o atleta não poderá competir.
O uniforme não pode apresentar remendos mal feitos, rasgos, estar molhado, sujo ou apresentar odores desagradáveis.
Os atletas não poderão estar usando: cordão, fita no punho ou calcanhar, piercing, anel, colar e brinco.
O atleta deve apresentar unhas dos pés e das mãos cortadas e curtas.

Cabelos longos devem ser presos para não causar incômodo ao outro competidor, mas não é permitido: prendedor de cabelos de metal ou plástico que possam causar corte ou arranhão ao outro atleta.
O atleta será desclassificado caso apresente pintura nos cabelos que durante o combate suje o uniforme do adversário ou o próprio adversário.
O atleta deve utilizar calçado até a beira da área de luta, nos locais onde for permitido, sendo passível de punição pela falta do cuidado.


3. CATEGGORIAS DE IDADE E PESO

3.1 TABELA DE IDADE x PESO  

 CATEGORIA DE IDADE

PLUMA

PENA

   

LEVE

MÉDIO

MEIO PESADO

PESADO

PRÉ MIRIM (4 a 5 anos)

16 Kg

19 Kg

   

22 Kg

25 Kg

28 Kg

28+ Kg

MIRIM (6 a 7 anos)

19 Kg

23 Kg

   

27 Kg

31 Kg

35 Kg

35+ Kg

INFANTIL (A) (8 a 9 anos)

26 Kg

30 Kg

   

34 Kg

38 Kg

42 Kg

42+ Kg

INFANTIL (B) (10 a 11 anos)

28 Kg

32 Kg

   

36 Kg

41 Kg

46 Kg

46+ Kg

INFANTO JUVENIL (A) (12 a 13 anos)

37 Kg

42 Kg

   

47 Kg

53 Kg

59 Kg

59+ Kg

INFANTO JUVENIL (14 a 15 anos)

45 Kg

51 Kg

   

57 Kg

63 Kg

70 Kg

70+ Kg

JUVENIL (16 a 17 anos)

53 Kg

59 Kg

   

65 Kg

71 Kg

78 Kg

78+ Kg

ADULTO Femin. (18 a 30 anos)

55 Kg

60 Kg

   

66 Kg

73 Kg

80 Kg

80+ Kg

ADULTO Masc. (18 a 30 anos)

62 Kg

72 Kg

   

82 Kg

92 Kg

102 Kg

102+ kg

MASTER 1 Masc. (31 a 38 anos)

62 Kg

72 Kg

   

82 Kg

92 Kg

102 Kg

102+ kg

MASTER 2 Masc. (39 a 46 anos)

62 Kg

72 Kg

   

82 Kg

92 Kg

102 Kg

102+ kg

MASTER 3 Masc. (47 a 54 anos)

62 Kg

72 Kg

   

82 Kg

92 Kg

102 Kg

102+ kg

MASTER 4 Masc. (55 a 62 anos)

62 Kg

72 Kg

   

82 Kg

92 Kg

102 Kg

102+ kg

MASTER 5 Masc. (63 a 99 anos)

62 Kg

72 Kg

   

82 Kg

92 Kg

102 Kg

102+ kg

ABSOLUTO + MASTER FEMININO IDADE 18+      LEVE 66- PESADO 66+
ABSOLUTO MASCULINO IDADE 18+      LEVE 82- PESADO 82+
ABSOLUTO MASCULINO MASTER IDADE 31+      LEVE 82- PESADO 82+
ABSOLUTO JOVEM IDADE 18-     SEM DIVISÃO    

 

 

3.2 CATEGORIA ABSOLUTO

  • Só haverá a categoria dos Absolutos para o Juvenil, adulto e master, visando a segurança dos atletas de idade inferiores.
  • A categoria Absoluto, assim como as demais categorias, serão feitas com antecedência, obedecendo ao prazo estipulado pela CBLLE.
  • Essas categorias são subdivididas conforme a (3.1) TABELA DE IDADE x PESO
  • O tempo máximo das lutas é igual ao da categoria de origem
  • Para participar do Absoluto, o atleta deverá estar obrigatoriamente inscrito na sua categoria de origem e ter participado da chave, passando pelo checkin, independente do resultado de suas lutas.
  • O atleta que deseja participar do Absoluto terá que pagar as duas taxas de inscrição, por se tratar de duas categorias distintas.
  • A categoria do Absoluto poderá sofrer um desconto de acordo com os editais informativos dos eventos da CBLLE.
  • O atleta que em sua categoria de origem for desclassificado por WO, não terá o direito de participar do Absoluto.
  • O atleta que em sua categoria de origem for desclassificado por falta disciplinar, não terá o direito de participar do Absoluto. 

 

4. PONTUAÇÃO

4.1 TABELA DE PONTUAÇÃO

Posições

Pontos

Observação

Quedas

2

Pescoço livre/Dentro do limite de segurança

Raspagens

2

Pescoço livre/Partindo de guarda ou meia guarda

Passagens de guardas

2

Pescoço livre/Partindo de guarda ou meia guarda

Montada pela frente

4

Pescoço livre/Joelhos no chão/Braços do oponente livres
Montada técnica também é válida

Montada pelas costas

4

Pescoço livre/Joelhos no chão/Braços do oponente livres

Pegada pelas costas

4

Com os dois ganchos e os braços do oponente livres

1ª Punição

Marcação no placar

Em casos de faltas técnicas durante a luta

2ª Punição

-1

Em casos de faltas técnicas durante a luta

3ª Punição

-2

Em casos de faltas técnicas durante a luta

4ª Punições

Desclassificação

Em casos de faltas técnicas durante a luta


4.2 TEMPO DE ESTABILIZAÇÃO
Todas as posições de pontuação acima requerem que o atleta a estabilize por no mínimo 3 (três) segundos, com a exceção das quedas.
A contagem dos 3 (três) segundos de estabilização de uma posição de pontuação não terá início (entrada direta na finalização) ou será interrompida (transição da imobilização para finalização, mantendo a imobilização) caso o adversário encaixe uma posição de finalização.

4.3 PONTUAÇÃO ACUMULATIVA
O atleta poderá receber pontos acumulados quando evoluir a movimentação através de diversas posições de pontuação, no caso de não cumprir o domínio de três segundos nas posições de pontuação anteriores a última da sequência. Nesse caso, o árbitro contará apenas 3 (três) segundos de domínio ao final da sequência para assinalar os pontos.

4.4 CRITÉRIO DE DESEMPATE
Em caso de empate com pontos, o atleta que fizer o último ponto é declarado vencedor do combate.
Em caso de empate sem pontos, cabe ao árbitro a definição por combatividade.


5. TEMPO DE LUTA

5.1 TEMPO DE LUTA POR IDADE

O árbitro está autorizado a paralisar ou encerra a luta a qualquer momento, para preservar a integridade física e mental do atleta.
Idade Tempo de luta 

  • 04 / 05 Anos - 02 minutos
  • 06 / 07 Anos - 02 minutos
  • 08 / 09 Anos - 03 minutos
  • 10 / 11 Anos - 03 minutos
  • 12 / 13 Anos - 03 minutos
  • 14 / 15 Anos - 04 minutos
  • 16 / 17 Anos (Mas. Fem.) - 04 minutos
  • Adulto 18 / 30 (Mas.) - 05 minutos
  • Adulto 18 / 30 (Fem.) - 04 minutos
  • Master 1, 2, 3, 4 e 5 (Mas.) - 05 minutos
  • Master 1, 2, 3, 4 e 5 (Fem.) - 04 minutos


6. GOLPES PROIBIDOS

 

6.1 PROIBIÇÃO POR IDADE / FAIXA

  IDADE/ FAIXA
IDADE anos ADULTOS
4 a 13 14 a 15 16 a 17 BRANCA AMARELA LARANJA AZUL
ROXA
MARROM
PRETA
CHAVE DE PÉ RETA            
POSIÇÃO DE FINALIZAÇÃO QUE FORCE ABERTURA DA VIRILHA          
ESTRANGULAMENTO QUE FORÇA A CERVICAL          
MATA LEÃODE FRENTE (EZEQUIEL)          
GUILHOTINA          
TRIÂNGULO DE MÃO          
OMOPLATA          
TRIÂNGULO PUXANDO A CABEÇA          
CHAVE DE BÍCEPS      

CHAVE QUE PRESSIONE AS COSTELAS NA GUARDA
     
GUILHOTINA PULANDO NA GUARDA      
MÃO DE VACA      
CHAVE DE PANTURRILHA  
CHAVE DE CALCANHAR  
CHAVE DE JOELHO RETA (LEGLOCK)  
CHAVE QUE FORÇA O JOELHO  
AMERICANA DE PÉ  
CERVICAL (TODAS AS VARIAÇÕES)
SUPLÊ SOBRE A CABEÇA
TESOURA (KANI-BASAMI)
BATE ESTACA
TORCER OS DEDOS

6.2 APOIAR A CABEÇA NO TATAME
É determinantemente proibido ao atleta de qualquer idade, apoiar a cabeça no tatame, quando o adversário estiver em pé dentro da sua guarda fechada.
Cabe ao árbitro chamar a atenção do atleta e colocá-lo em oposição adequada que não ofereça risco a sua integridade física, O atleta não será punido por essa conduta, caso insista na posição, será passivo de desclassificação.

6.3 BATE ESTACA
Bater o adversário de cabeça, pescoço ou costas ao solo de forma brusca e agressiva com força excessiva

 


7. FALTAS E PUNIÇÕES
7.1 FALTAS
As faltas são infrações Disciplinares ou Técnicas previstas na regra da CBLLE, que podem ser cometidas pelos atletas, professores e torcidas, antes, durante e depois dos combates.
As faltas disciplinares serão punidas com mais rigor ao atleta, ao professor e ou equipe envolvida nos atos de indisciplina.

7.2 FALTAS DISCIPLINARES
Quando o atleta proferir palavras de baixo escalão (palavrões) ou gestos obscenos em direção ao adversário, à mesa central, aos mesários, ao árbitro ou ao público, antes, durante ou após a luta.
Quando o atleta agredir o adversário, o árbitro ou qualquer outro membro da organização ou do público, antes, durante ou após a luta.
Quando o atleta morder, puxar cabelos, aplicar golpes nos órgãos genitais, nos olhos, ou qualquer golpe traumático intencional, tal como soco, cotovelada, joelhada, cabeçada, pontapé, ou cuspir, entre outros.
Quando o atleta durante a luta ou ao comemorar a vitória age de forma ofensiva ou desrespeitosa ao adversário ou ao público, utilizando palavras ou gestos.
Quando um ou os dois atletas desrespeitam a seriedade da competição ou realizam ato de simulação de combate.
Quando o atleta tiver atitudes consideradas incompatíveis ao ambiente de competição, bem como a prática de qualquer delito, mesmo que antes do início ou após o encerramento do combate.
Quando o atleta se apresenta para o combate alcoolizado ou drogado.
Todas as Faltas Disciplinares cometidas pelos atletas são punidas com a desclassificação imediata do atleta.


7.3 PUNIÇÕES POR FALTAS DISCIPLINARES
Os atos de indisciplina não são tolerados nos eventos oficiais da CBLLE, sendo os mesmos punidos exemplarmente, após ser analisada e julgada a gravidade dos atos de indisciplina pela diretoria da CBLLE.
O ou os atletas envolvidos serão sumariamente desclassificados da competição, não tendo direito à pontuação e a premiações de medalhas ou outras premiações feitas pela CBLLE.
Tais atos de indisciplina e má conduta acarretarão na perda de 20 até 60 pontos no total geral da(s) equipe(s) infratoras, dependendo da gravidade e entendimento da diretoria da CBLLE.
Em casos extremos, tanto o atleta quanto a equipe serão excluídos da CBLLE, sem direito a qualquer tipo de reembolso ou ressarcimento financeiro.

7.4 FALTAS TÉCNICAS
As faltas técnicas são divididas em:
Falta de Combatividade, advertência verbal.
Falta grave, advertência verbal e punição de um ponto negativo.
Falta Gravíssima, desclassificação imediata.

7.4.1 FALTA DE COMBATIVIDADE

  • Um atleta claramente não buscar evoluir suas posições dentro da luta e também impedir que o adversário o faça.
  • Quando os dois atletas demonstrarem simultânea falta de combatividade em qualquer situação de luta.
  • Quando um dos atletas sentar sem pegada, o árbitro intervém e assinala uma punição um ponto negativo para o atleta infrator, o combate será reiniciado em pé.
  • Quando os dois atletas puxarem para guarda sem pegada ao mesmo tempo, o árbitro intervém e assinala uma punição um ponto negativo para os dois atletas, o combate será reiniciado em pé.
  • Não será configurada falta de combatividade quando o atleta estiver defendendo ataques do adversário a partir da montada, da pegada das costas e das imobilizações.
  • Não será configurada falta de combatividade quando um dos atletas possuir domínio em posição de montada ou pegada pelas costas, desde que se mantenham as características técnicas das posições.

Não será configurada falta de combatividade na seguinte situação de luta:

  • Quando o Atleta A puxar o Atleta B para a guarda, o Atleta B não é obrigado a aceitar o combate no solo, podendo ele se afastar uma vez que o Atleta A não quis lutar em pé, neste caso o arbitro ordenará que o Atleta A volte a ficar em pé e dar continuidade a luta, mas caso o Atleta A se recuse a ficar em pé cabe ao arbitro puni-lo.
  • Será configurada falta de combatividade na seguinte situação de luta:
  • Quando a luta já está no solo por três segundo ou mais, o atleta que não está na guarda do seu oponente, não poderá ficar em pé deliberadamente buscando a luta de pé, esse ato será configurada falta de combatividade, pois o atleta fugiu da luta de solo, cabe ao arbitro puni-lo.


7.4.2 FALTA GRAVE (ADVERTÊNCIA VERBAL E PUNIÇÃO DE UM PONTO NEGATIVO)

  • Quando o atleta ajoelhar ou sentar (permanecendo na posição) por mais de 20 segundos.
  • Quando o atleta, em pé, foge para as extremidades da área de luta, evitando o combate com o adversário.
  • Quando o atleta empurra o adversário para fora da área de luta sem a clara intenção de finalizar ou pontuar.
  • Quando o atleta no chão foge do combate arrastando-se para fora da área de luta.
  • Quando o atleta se comunica com qualquer pessoa, através da fala ou de gestos, de forma que conteste uma decisão do árbitro durante a luta.
  • Quando o atleta desobedece a uma ordem do árbitro.
  • Quando o atleta sai da área de tatames ao final do combate antes da proclamação do resultado pelo árbitro.
  • Quando o atleta foge deliberadamente da área de luta para evitar que uma raspagem ou queda do adversário seja consolidada. (Nesse caso o árbitro deve assinalar dois pontos para o adversário do atleta que fugiu da área e uma punição um ponto negativo para o atleta que fugiu da área).
  • Quando o atleta faz qualquer pegada no seu próprio uniforme ou no uniforme do adversário.
  • Quando o atleta coloca a mão ou pé sobre a parte frontal do rosto do adversário.
  • Quando o atleta corre em volta da área de luta e não busca contato com o adversário.
  • Quando o atleta ao defender tecnicamente um golpe encaixado
  • sai da área de luta (ex.: defesa da chave de pé girando e saindo da área de luta), evitando a sua finalização. Nesse caso o árbitro para a luta, volta ao centro em pé e assinala dois pontos para o atleta que aplicou o golpe.

7.4.3 FALTAS GRAVÍSSIMAS (DESCLASSIFICAÇÃO)
Em toda Falta gravíssima o atleta será desclassificado imediatamente.

  • Quando for atacado por um golpe de finalização, o atleta cometer uma falta que obrigue o árbitro a interromper o combate.
  • Quando o atleta utilizar cremes, óleos, géis ou qualquer substância escorregadia em qualquer parte do corpo.
  • Quando o atleta estrangula o adversário utiliza o polegar para pressionar a ?glote? do adversário.
  • Quando o atleta tapa o nariz ou boca do adversário com as mãos.
  • Realizar a técnica de queda ?suplê?, jogando o adversário de cabeça ou pescoço ao solo.
  • Quando o atleta aplicar um dos golpes proibidos para cada categoria, como indicado na tabela de golpes proibidos na tabela do artigo 2.1.
  • O atleta que for desclassificado por indisciplina, não recebe a medalha e nem pontos para a equipe a qual ele pertence.
  • Quando o atleta durante a luta ou ao comemorar vitória antes de ser proclamado o resultado tiver atitudes que não sejam adequadas ao ambiente da luta, mas que não se enquadrem em falta disciplinar. (Ex.: Exercícios que possam sugerir superioridade física, danças ou atitudes de ridicularize seu oponente dentro do contexto desportivo).
  • Quando o atleta tiver o Uniforme (blusa ou bermuda) inutilizado e não conseguir trocar por um novo dentro do prazo determinado de cinco minutos pelo árbitro, será desclassificado.
  • Quando o atleta foge deliberadamente com o golpe encaixado (Ex.: sem fazer a defesa do mesmo tecnicamente).

7.5 PROCESSOS DE PUNIÇÕES
Advertência Verbal (Lute)
1ª PUNIÇÃO (- 1 ponto)
2º PUNIÇÃO (- 1 ponto)
3º PUNIÇÃO (- 1 ponto) o atleta será desclassificado.

7.6 TIPOS DE DESCLASSIFICAÇÕES

  • Por falta disciplinar: O atleta não volta a lutar em caso de chave com 3 (três) atletas. Perdendo o direito a premiação de medalhas ou qualquer outro tipo de premiação que a CBLLE esteja contemplando seus associados. Não será computado os pontos para a classificação geral da equipe, consequentemente para o ranking anual.
  • Por falta Técnica: O atleta poderá volta a lutar em caso de chave com 3 (três) atletas, se ele for desclassificado na primeira luta. Terá direito a premiação de medalhas ou qualquer outro tipo de premiação que a CBLLE esteja contemplando seus associados conforme sua classificação dentro da chave. Serão computando os pontos para a classificação geral da equipe, consequentemente para o ranking anual.
  • Por decisão médica: Em caso de acidente no decorrer da luta, o atleta tem direito ao atendimento médico fornecido pela CBLLE, dentro do prazo estabelecido pelo árbitro (Cinco minutos de tolerância), ele terá que retornar ao tatame para luta, se os médicos não aprovarem que o mesmo lute, ele será desclassificado por decisão médica.
    Nota: Nem os atletas nem seus professores têm autonomia para decidir se o competidor tem condições de voltar a lutar. Somente os médicos têm tal autoridade e competência, estando sobre ele a total responsabilidade quanto ao bem-estar físico e mental do atleta.
  • O atleta que por ventura chegar atrasado será desclassificado por WO.
  • Não haverá tolerância na pesagem: Exemplo: se o atleta está inscrito na categoria (adulto ? leve ? faixa azul/roxa), ele deverá estar pesando no máximo 79 Kg, na hora da pesagem oficial. Se o fiscal do setor aferir que o atleta está com 76,1Kg ele será desclassificado.
  • Por Excesso de peso "Balança": Uma vez em cima da balança para a pesagem oficial, valerá o peso apontado pelo fiscal do setor. Não havendo outra oportunidade de troca de uniforme ou para uma segunda pesagem.
  • O atleta que estiver sozinho na chave (apenas ele na chave) ou se seu oponente faltar (WO) ele deverá se pesar devidamente uniformizado, quando será aferido seu peso, e se ele estiver dentro do limite de peso da categoria em que foi inscrito, ele será declarado vencedor da luta, caso contrário ele será desclassificado na balança.
  • Por falta de documentação: Se o atleta ao ser chamado para se apresentar para lutar não estiver com a carteira oficial da CBLLE conforme exigido no artigo 6.2, o mesmo será desclassificado por falta de documentação.
    Também, se o atleta ao ser chamado para se apresentar para lutar não tiver com a carteira oficial da sua modalidade que identifique sua graduação conforme exigido no artigo 6.2, o mesmo será desclassificado por falta de documentação.

 


8. ARBITRAGEM

8.1 AUTORIDADE DO ÁRBITRO

  • O árbitro é a autoridade máxima de cada luta.
  • O resultado de cada luta proclamado pelo árbitro é soberano.
  • O resultado proclamado de uma luta só poderá ser alterado nos seguintes casos:
  • Se houver interpretação errada do placar. 
  • Se o atleta declarado vencedor tiver finalizado o adversário utilizando golpes restritos não observados pelo árbitro.
  • Interpretações subjetivas do árbitro na marcação de pontos ou punições não serão alteradas.
  • Para alterar o resultado proclamado de uma luta, as seguintes condições devem ser observadas:
    • O árbitro poderá consultar o diretor de arbitragem do evento, mas caberá ao árbitro à decisão final de alterar ou não o resultado proclamado.
    • O diretor de arbitragem deverá consultar a mesa central do evento sobre o andamento da chave e só poderá autorizar a alteração do resultado caso a chave não tenha avançado para a fase posterior.


8.2 FUNÇÕES DO ÁRBITRO

  • Caberá ao árbitro chamar os atletas para a área de luta no início do combate.
  • Caberá ao árbitro fazer a checagem final de todas as exigências de vestimenta, higiene, etc. Caso um dos atletas não atenda a qualquer das exigências, caberá ao árbitro determinar que a exigência seja cumprida em tempo determinado.
  • Caberá ao árbitro posicionar os atletas na área de luta antes do início do combate.
  • O atleta só poderá entrar no tatame para o combate, após a sinalização do árbitro.
  • O atleta que ficar à direita do árbitro terá a sua pontuação assinalada pelo braço direito do árbitro, diferenciado do esquerdo por uma braçadeira que indicará que os pontos do atleta serão marcados na seção colorida do placar.
  • O atleta que ficar à esquerda do árbitro terá a sua pontuação assinalada pelo braço esquerdo do árbitro, que não apresenta a braçadeira e seus pontos serão marcados na seção sem cores do placar.
  • Caberá ao árbitro fazer o posicionamento dos atletas de acordo com a identificação que o atleta está usando para diferenciar um do outro.
  • Os atletas já deverão estar usando a caneleira identificadora ao subir no tatame.
  • O atleta que estiver usando a caneleira identificadora deverá ser colocado à direita do árbitro cujo braço terá uma braçadeira.
  • Caberá ao árbitro dar início ao combate.
  • Caberá ao árbitro interromper o combate quando achar necessário.
  • Quando o árbitro central interromper o combate por qualquer motivo, os atletas devem sempre que possível manter a posição e aguardar instruções do árbitro.
  • Caberá ao árbitro fazer com que os atletas cumpram a obrigação de combate no centro da área de combate.
  • Quando os atletas estiverem com 2/3 do corpo fora da área de combate, em posição no solo estabilizada, o árbitro interromperá o combate e, observando a posição de cada atleta, reiniciará o combate no centro com os atletas em posições idênticas às do momento da interrupção.
  • Quando um dos atletas pisar na área de segurança na luta em pé (salvo quando já houver iniciado uma queda), ou quando os atletas estiverem com 2/3 do corpo fora da área de combate em luta no solo não estabilizada, o árbitro interromperá o combate e reiniciará com os dois atletas em pé no centro da área de combate.


Quando um atleta estiver com um golpe de finalização encaixado na área de segurança, o árbitro não interromperá o combate.

Importante

  • Quando um atleta estiver com um golpe de finalização encaixado e no movimento de defesa do adversário os dois atletas forem para fora da área de segurança, o árbitro interromperá o combate e recomeçará no centro com os atletas em pé. Nesse caso, quando o árbitro tiver clareza que o movimento que levou à saída da área de combate foi iniciado pelo atleta que estava sob o ataque da finalização, ele assinalará 2 (dois) pontos para o atleta que tinha o golpe de finalização encaixado.
  • (FUGA intencional) Quando o atleta foge deliberadamente da área de luta com um golpe encaixado, evitando a sua finalização. (Nesse caso o árbitro deve assinalar dois pontos diretos para o adversário do atleta que fugiu da área de luta e marcar no placar uma punição um ponto negativo para o atleta que fugir da área de luta).
  • Quando um dos atletas leva seu adversário para a área de segurança enquanto busca estabilização de uma posição de pontuação, o árbitro deverá sempre que possível aguardar a estabilidade da posição por 3 (três) segundos para então parar o combate, dar os pontos e então reiniciar o combate no centro da área.
  • Toda movimentação que ultrapassa a área de segurança deve ser paralisada e a luta retornada em pé no centro da área de combate. A avaliação de pontos ou punições será feita até a área de segurança e os movimentos que acontecem após o limite da área de segurança serão desconsiderados. 
  • Caberá ao árbitro nas categorias de idade até 15 anos proteger a cervical do atleta se posicionando atrás dele quando ele for retirado do solo pelo adversário em caso de triângulo ou guarda fechada.
  • Caberá ao árbitro assinalar toda e qualquer punição, vantagem ou pontuação referente a cada atleta.
  • Caberá ao árbitro advertir e desclassificar os atletas.
  • Quando o atleta realiza movimento não intencional que coloca seu adversário em posição passível de penalização, sem posição de finalização encaixada, caberá ao árbitro interromper o combate e recolocar os atletas em posição regular. O árbitro então irá reiniciar o combate, punindo o infrator.
  • Caberá ao árbitro solicitar a entrada do atendimento médico na área de luta.
  • Caberá ao árbitro encerrar a luta ao final do tempo regulamentar.
  • Caberá ao árbitro proclamar o resultado da luta.
  • Caberá ao árbitro levantar o braço do vencedor da luta e somente do vencedor, mesmo em caso de acordo entre dois atletas da mesma academia é obrigatório existir o combate.

8.3 GESTOS E ORDENS VERBAIS DO ÁRBITRO
O árbitro utilizará uma série de gestos e comandos verbais para se comunicar com os atletas e mesários durante a luta. A seguir, a relação de gestos e comandos mais comuns para todas as situações de combate:

 

 

 

 

 

 

 

9. CHAVEAMENTO CASOS ESPECIAIS

9.1 CHAVE COM 3 ATLETAS E DESCLASSIFICAÇÃO

  • Haverá a repescagem para o atleta que perder a primeira luta (dois piores rankings de entrada), resguardando o tempo de espera entre uma luta e outra. O atleta fará uma nova luta com o atleta que estava de stand by, caso ele venha a vencer esta luta, ele terá o direito de disputar a final, caso ele perca outra vez ele fica com o terceiro lugar, e os outros dois atletas farão a final.

  • Em caso de desclassificação dos dois finalistas por FALTA DISCIPLINAR, os atletas que foram desclassificados não receberão nenhum tipo de premiação ou pontuação. O terceiro atleta receberá a medalha de bronze (3º lugar), e 1 (um) ponto referente à colocação alcançada.
  • Em caso de desclassificação dos dois finalistas por FALTA TÉCNICA, os atletas que foram desclassificados receberão medalhas de prata (2º lugar) e receberão os 3 (três) pontos referentes a colocação alcançada. O outro atleta receberá a medalha de bronze de (3º lugar), e 1(um) ponto referente à colocação alcançada.
  • Em ambos os casos acima não haverá campeão na chave.

9.2 DESCLASSIFICAÇÃO POR FALTA DISCIPLINAR

  • O(s) atleta(s) não receberá(ão) nenhum tipo de premiação e descontará(ão) 1 (um) ponto na classificação geral de sua equipe.

9.3 DESCLASSIFICAÇÃO POR FALTA TÉCNICA

  • Tem o mesmo efeito que a derrota, premiando e pontuando quando ocorrer na final (2º lugar) ou na semifinal do vencedor da chave (3º lugar).

9.4 DESCLASSIFICAÇÃO POR CONTUSÃO

  • A desclassificação por CONTUSÃO (por acidente durante o combate, sem condição de continuar) tem o mesmo efeito que a derrota, premiando e pontuando quando ocorrer na final (2º lugar) ou na semifinal (3º lugar) do vencedor da chave.

9.5 DOIS OU MAIS ATLETAS DA MESMA EQUIPE

  • Fica assegurada a garantia de que pelo menos dois atletas damesma equipe ficarão em lados opostos da chave

9.6 DEFINIÇÃO DO TERCEIRO LUGAR (4+)

Em chaves com 4 ou mais atletas, não haverá disputa de terceiro lugar:
O atleta que perder para o campeão da chave será declarado o terceiro colocado da chave.
De acordo com o exemplo ao lado, a classificação ficaria assim:
1º - Campeão o número 1 - Ouro
2º - Vice-campeão o número 4 - Prata
3º - 3ro colocado o número 2 - Bronze

10. PONTUAÇÃO E PREMIAÇÃO

10.1 PONTOS DAS EQUIPES POR CLASSIFICAÇÃO
As pontuações das equipes para o ranking do evento e ranking anual da CBLLE segue a tabela de pontos abaixo.
Os atletas classificados nas três primeiras colocações de cada categoria somarão pontos para a classificação por equipes no final do evento, e para o Ranking do ano vigente anual da CBLLE, conforme tabela abaixo. 
 

RESULTADO

Pontos

CAMPEÃO

9

VICE CAMPEÃO

3

3o COLOCAD

1

 


10.2 CLASSIFICAÇÃO
A CBLLE Premiará as 6 equipes melhores ranqueadas no adulto masculino e as 3 melhores ranqueadas no infanto-juvenil e feminino em cada evento oficial.
Em caso de empate nas classificações os critérios de desempates são:
1º Maior número de campeões.
2º Maior número de vice-campeões.
3º Maior número de terceiro colocados.
4º Maior número de atletas inscritos.
5º Sorteio entre os empatados para definir suas respectivas colocações.

10.3 PREMIAÇÃO
A CBLLE Premiará o(a)s três primeiro(a)s atletas de todas as chaves com as medalhas de OURO, PRATA e BRONZE de acordo com as suas classificações.
As entregas das medalhas serão entregues pelos fiscais do setor somente no pódio, mesmo que o atleta esteja sozinho na chave.
O atleta que estiver sozinho em uma categoria precisa ter o uniforme checado, ser pesado e aprovado para receber medalha e ter seu nome na lista final de colocação do campeonato.

Caso o atleta esteja ausente ou impossibilitado de receber a sua premiação, por motivo de lesão ou atendimento médico no local ou fora (Hospital), o professor ou representante oficial da equipe deverá receber a medalha em seu lugar.
Se o atleta se recusar a receber a medalha referente a sua colocação por qualquer motivo, ele perderá automaticamente o direito a recebê-la em outro momento, sendo enquadrado no critério de falta disciplinar, com a perda da pontuação referente a sua classificação na chave, , de acordo com o previsto para FALTA DISCIPLINAR.
Para participar da cerimônia de premiação, o atleta deve estar devidamente uniformizado. Se o atleta se recusar a colocar o uniforme, ele perderá o direito a medalha referente a sua colocação, perdendo automaticamente o direito a recebê-la em outro momento, além da perda da pontuação referente a sua classificação na chave, de acordo com o previsto para FALTA DISCIPLINAR.
Não é permitido o uso de adereços estranhos à prática do esporte.
Somente os atletas classificados de 1º ao 3º lugar poderão estar presentes no pódio para as fotos oficiais.
Não é permitida a presença de pessoas estranhas (não envolvidas na organização do evento) na área de pódio para tirar fotos.
A CBLLE tem como corpo contratado dois fotógrafos oficiais para bater todas as fotos de todos os pódios, e as disponibilizará em seu site ou veículo de mídia.
O atleta que for desclassificado por WO em uma categoria, não tem direito a receber medalha e seu nome não constará na lista final de colocação da mesma, a única exceção ao determinado no item acima se dá em caso de o atleta já ter realizado pelo menos uma luta na categoria.
O atleta que for desclassificado por falta disciplinar não tem direito a receber medalha e seu nome não constará na lista final de colocação do campeonato.


10.4 CERIMONIA FINAL
Cerimônia final: Serão premiadas com troféus as equipes que se classificarem no evento entre as 6 melhores ranqueadas nas categorias adulto e master masculinos e as 3 melhores colocados entre os jovens (menores) e feminino adulto e master.
Os troféus serão entregues aos professores ou representantes oficiais das equipes classificadas.
É de extrema importância a presença dos representantes legais das equipes classificadas no ato da cerimônia final.
A ausência do representante legal da equipe implicará no não recebimento do troféu posteriormente, estando sujeito às punições e perda dos pontos para o Ranking Anual da equipe e dos seus atletas.

10.5 RESPONSABILIDADE DE CONFERÊNCIA DO RESULTADO FINAL

Caberá as líderes das equipes acompanharem a apuração do resultado e avisarem caso haja algum erro de lançamento antes do cerimônia de premiação, a qual, depois de anunciada, será irreverssível, mesmo que depois se apure qualquer incorreção na apuração do resultado.

 

11 - RANKINGS INDIVIDUAIS E CHAVEAMENTO

11.1 RANKINGS INDIVIDUAIS - CINCO DIVISÕES

  1. REGIÃO (BRASILEIRO, SUL, SUDESTE, CENTRO-OESTE, NORDESTE E NORTE)
  2. GÊNERO (MASCULINO E FEMININO)
  3. CATEGORIA IDADE (MIRIM, INFANTIL, JUVENIL, ADULTO, MASTER 12, MASTER 34 E MASTER5)
  4. CATEGORIA DE PESO (8 CATEGORIAS REGULARES, ABSOLUTO LEVE E ABSOLUTO PESADO)
    O Ranking absoluto leve e o pesado englobam todos os ranqueados até o peso médio e depois dele, respectivamente. Contudo, apenas as chaves regulares somam ponto para esses rankings, exceto torneios exclusivamente das categorias absoluto, os quais pontuam apenas para tais rankings.
    Todos os atletas estarão nos rankings por peso nas categorias regulares a que pertencem e no absoluto, onde estarão junto com atletas de outros pesos.
  5. FAIXAS (BRANCA, AMARELA, LARANJA, AZUL, ROXA, MARROM E PRETA)

Critério de Pontuação para os Rankings

Colocação

Pontos Colocação

rodada máxima atingida

total

1º colocado (Campeão) 9 NR 9 + NR
2º colocado (Vice) 3 NR 3 + NR - 1
3º e 4º colocados 1 NR 1 + NR - 1
5º ao último colocado 0 NR 0 + NR / 2

O critério considera o nº da rodada como forma a pontuar mais as chaves com mais participantes.
Todos os participantes pontuam

.
11.2 PESO DOS TORNEIOS PARA RANQUEAMENTO
A pontuação conquistada no torneio será multiplicada pelo Peso do torneio para só então ser computada no Ranking.

Torneios Abertos Oficiais 1
Estaduais 1,5
Brasileiro 2
Continental 2,5
Mundial 3


11.3 CHAVEAMENTO - ELIMINAÇÃO SIMPLES - VENCEDOR AVANÇA
As chaves funcionam em sistema de eliminação simples, onde o atleta perdedor em cada luta é eliminado e o vencedor passa à próxima fase de disputa da chave, com exceção das chaves com 3 (três) atletas inscritos, onde o perdedor da primeira luta enfrenta o terceiro participante para definir quem avança para enfrentar o vencedor da primeira luta.

11.4 RANKING DE ENTRADA NO CHAVEAMENTO
Ranking de entrada obedece aos seguintes critérios para sua formação

  1. O Ranking do atleta no ano em curso na categoria
  2. No primeiro evento do ano, o ranking do atleta no ano anterior na categoria
  3. O Em caso de empate acima, primeiro a confirmar (pagar) a inscrição
  4. O Em caso de empate acima, primeiro a se inscrever no torneio

A formação dos confrontos das chaves utilizará o ranking de entrada dos competidores como critério para casamento das lutas, onde os melhores colocados no ranking enfrentam os de colocação mais baixa.

EXEMPLOS:

Rodada

Nro da luta

Adversário 1 x 2

Pontos Vencedor

Pontos Perdedor

Chave com 4 competidores
1 101 Ranking1 x Ranking4 1+1-1 = 1 avança
1 102 Ranking2 x Ranking3 1+1-1 = 1 avança
2 201 Venc 101 x Venc 102 3+2-1 = 4 9+2 = 11

 

11.5 AGRUPAMENTO DAS FAIXAS PARA FORMAÇÃO DAS CHAVES

Cada torneio poderá agrupar duas ou mais faixas em uma mesma chave de formadiferente. Contudo o ranking ficará separado dentro de cada faixa.

12 REGULAMENTO DOS RANKINGS

  • O Ranking Anual da CBLLE: tem como objetivo prestigiar e valorizar as equipes assim como os seus atletas que participam regularmente dos eventos oficiais desta entidade desportiva.
  • O Ranking Anual da CBLLE: é adotado para todas as idades, categorias, faixa, tanto para o masculino quanto para o feminino.
  • O Ranking Anual da CBLLE: é composto do somatório dos pontos dos atletas de casa evento oficial da temporada do ano vigente.
  • A coordenação dos eventos oficiais da CBLLE vigente anunciará nos meios de comunicação (Internet) em forma de cartazes ou vídeos, a data limite para as adequações de chaves, onde o professor deverá fazer as checagens das inscrições dos seus atletas.
  • Toda e qualquer alteração nas inscrições seja: nomes, idade, categoria, graduação etc. Só serão realizadas dentro do prazo pré-estabelecido pela coordenação dos eventos oficiais da CBLLE vigente.
  • Não será realizado qualquer tipo de alteração seja: nomes, idade, categoria, graduação etc. no dia do evento.
  • As inscrições são de total responsabilidade dos inscritos e professores responsáveis por suas equipes.
  • A coordenação do evento, não se responsabiliza pelos erros nas inscrições feitas através do site, uma vez que a coordenação do evento não tem acesso à digitação das inscrições.
  • Os atletas que durante o ano vigente forem promovidos de graduação, seus pontos conquistados anteriormente, não serão levados em consideração, uma vez que se trata de uma nova categoria, iniciando assim uma nova contagem de pontos para o ranking.

12.1 REGULAMENTO PARA OS RANKINGS DAS EQUIPES - EVENTO E ANUAL

  • Os pontos dos atletas DE UMA MESMA EQUIPE serão somados a fim de totalizar o resultado geral da equipe
  • A classificação do RANKING DAS EQUIPES DO EVENTO será apurado pelo resultado geral da equipe no evento
  • A classificação do RANKING ANUAL DAS EQUIPES será apurado pelo resultado geral da equipe durante o ano
  • Em caso de empate em pontos, serão observados os seguintes critérios para desempate (artigo 10.2):
    • 1º Maior número de 1o colocados. 
    • 2º Maior número de 2o colocados.
    • 3º Maior número de 3o colocados.
    • 4º Maior número de atletas inscritos.
    • 5º Sorteio entre os empatados para definir suas respectivas colocações.
  • Os responsáveis pelas equipes deverão acompanhar a apuração dos pontos de sua equipe  e apontar qualquer inconsistência antes de anunciarem o resultado final do RANKING DAS EQUIPES do evento. Após a premiação não mais erá possível alterar esse resultado, ficando os acertos restritos à correção dos resultados das lutas que estiverem incorretos, para efeito de histórico, mas sem anterar o ranking das equipes do eventos em questão.

Não será feito nenhum tipo de ajuste de equipes, para contabilizar pontos.

12.2 REGULAMENTO PARA O RANKING ANUAL DOS ATLETAS

  • Os pontos dos atletas são acumulativos de acordo com as classificações que os atletas conquistarem a cada evento oficial da CBLLE, sendo os pontos calculados de acordo com as regras vigentes.
  • Em caso de empate em pontos no final do ranking, serão observados os seguintes critérios para desempate:
    • 1º Maior número de vezes que ele foi campeão. 
    • 2º Maior número de vezes que ele foi vice-campeão.
    • 3º Maior número de vezes que ele foi terceiro colocado.
    • 4º Maior número de eventos que ele participou durante o ano vigente.
  • A publicação dos Rankins se dará em etapas intermediárias uma semana após cada torneio oficial da CBLLE, sendo o último ranking publicado o ranking final do ano. Após a publicação não mais será possível alterar a apuração, ficando os acertos restritos à correção dos resultados de confrontos comprovadamente incorretos, sem que altere o ranking já publicado. Isso significa que os atleta devem sempre verificar se seus resultados foram lançados de forma correta, evitando projuízo devido a possíveis erros de lançamento dos resultados

obs: A CBLLE tem o firme compromisso de buscar de todas as formas evitar que erros de apuração aconteçam, mas sempre haverá essa possíbilidade, uma vez que existe a intervenção humana no processo - digitação e transcrição do resultado no sistema.